Reader Comments

Intolerância à Lactose E Alergia Ao Leite: Existe Diferença?

"Paulo Enzo Barros" (2018-05-16)


Pela fermentação, bactérias quebram os açúcares do leite, facilitando a digestão. Porém essas bactérias cobram um valor: uma boa porção das calorias do alimento é consumida por elas. Dessa forma, as pessoas que viviam em um lugar com pouca oferta de alimento conseguiam consumir mais calorias se tomassem o leite sem ter de fermentá-lo. Quem tivesse acesso a vacas, ovelhas, cabras ou camelos consumia mais energia e se saía melhor que aqueles adultos que não conseguiam digerir esse alimento.

lactaseQuando apostar nos iogurtes zero lactose? As sensações desagradáveis da intolerância dificilmente determinam que a pessoa não possa tomar nem sequer uma gota de lácteo. E mesmo o iogurte habitual contém pouca lactose - são necessários três potes do produto para se conseguir a taxa de um copo de leite. Há pouco tempo, algumas marcas lançaram diferentes versões zero: líquidas, mais consistentes, com ou sem pedaços de frutas. A intolerância secundária à Lactose surge quando ocorre alguma lesão morfológica pela mucosa do intestino delgado afetando a localidade das microvilosidades (lugar aonde está presente a Lactase) e, conseqüentemente, causando uma diminuição da atividade da Lactase. Figura um- Equipamento fisiopatológico de elaboração de diarréia em resultância de intolerância à Lactose. No momento em que o organismo se mostra intolerante a definido alimento, é necessário observar ao cardápio e buscar escolhas para que os nutrientes oferecidos por ele não fiquem em baixa. Este é o caso de quem sofre com a intolerância ao leite. Ela se caracteriza por uma inabilidade pra digerir completamente a lactose, o açúcar predominante do leite , informa Karina Gallerani, nutricionista do Minha existência. Compartilhando mais sobre a intolerância, Karina detalha que a lactose, antes de ser absorvida pelo corpo, requer uma quebra das moléculas pelo intestino delgado.

A imaturidade do aparelho digestório e do sistema imune, comum nesta faixa etária, são fatores importantes para o desenvolvimento da APLV. No entanto, mesmo por meio do leite materno o recém-nascido pode entrar em contato com a proteína do leite de vaca. Assim sendo é muito primordial as mães prestarem atenção na sua alimentação e no surgimento de sintomas no garoto. Os sintomas são vômitos, aflição abdominal, diarreia, flatulência, presença de sangue nas fezes e dermatites (vermelhidão na pele, aparência de "pele grossa"), podendo iniciar outros processos alérgicos como asma e eczemas. O surgimento dessa doença se dá não apenas pela presença da proteína do leite de vaca, entretanto assim como pela permeabilidade da parede intestinal além do fator genético. No entanto, mais do a charada do corpo humano, a dieta pode ser uma pergunta de saúde. É sabido, tais como, que aqueles que sofrem com hipertensão arterial precisam investir em um cardápio com uma quantidade pequeno de sal. O excesso de sódio faz com que o organismo retenha mais líquido e, mesmo se não houver inchaço, o volume de sangue no organismo será aumentado.

Hipolactasia Primária A Lactose é o açúcar presente no leite, que quando ingerido é transformado em energia (glicose) pela ação da enzima lactase-florizina hidrolase (LPH). Um - Deficiência Primária de Lactase ou Hipolactasia Primária: É o tipo de deficiência mais comum pela população. Conforme o avanço da idade, há a perda pela criação da lactase. Isso acontece por causa redução da expressão do gene LCT que codifica a enzima lactase. O quadro clínico se inicia a partir dos 2 ou 3 anos de idade. Em vista disso, surge a alergia à lactose. Muitos sequer sabem que têm alergia, pois não relacionam os sintomas a esse problema. Mesmo que seja difícil por ti, é sério parar o consumo de leite. Embora ele seja uma fantástica referência de nutrientes, ele não é necessário para nossa existência e tais substâncias benéficas ao corpo podem ser encontradas em outros alimentos funcionais (como brócolis, ovos, feijão, salmão e fígado). Seguindo o posicionamento das reações químicas, a velocidade da atividade enzimática aumenta quando se aumenta a temperatura. No entanto, a velocidade da reação aumenta até um máximo, depois de determinada temperatura a velocidade declina muito rapidamente, mesmo aumentando a temperatura. Isso acontece por que a infraestrutura tridimensional das enzimas se rompe, impossibilitando-a de formar o complexo enzima-substrato.

O termo "alergia ao leite" se popularizou e, nos dias de hoje, é bastante utilizado para narrar possíveis causas de intolerância, provenientes de reações alérgicas ou não. "A alergia ao leite é outra coisa", ensina Tatiane. "Neste caso, o defeito está referente a uma proteína do leite chamada caseína. Por algum motivo, o organismo reconhece a caseína como um corpo anormal que irá causar estragos e reage contra ela, causando erupções na pele, manchas vermelhas, problemas respiratórios e, às vezes, diarreia". E também que após meia hora, a enzima é absorvida pelo corpo humano, logo é respeitável tomar mais um se prosseguir ingerindo a lactose. Aqui no Brasil, existem opções como o Lacday e o Lactosil. Eu acabo preferindo o Lactaid porque acho mais prático, contudo claro que no momento em que acabam os meus comprimidos, recorro as opções nacionais! Tem muita gente que não sabe disso, porém queijos e leite de ovelha e cabra não contém lactose. Por isso eu sempre dou preferência ao queijo de cabra, ou o chèvre, queijo pecorino, e bem como o feta. O Iogurte de ovelha é mais pesado, mas dá para acostumar. Os produtos "sem lactose" do mercado, normalmente são nada mais do que produtos derivados do leite, que também possui em sua composição a enzima lactase. Quer dizer, é como se você estivesse tomando um desses medicamentos que falei acima.