Reader Comments

tudo sobre a rosa do deserto

by Diva Gottuzo (2018-10-24)


Uma das mas preciosas flores do planeta a “Rosa do Deserto” possui sua origem no Sul da Façanha e na Península Arábica. Qualquer dia mas procurada para ser cultivada no Brasil, saiba cá as primordiais peculiaridades do cultivo do Adenium Obesum.

 

Envolvente :

 

Lugar ensolarado, pleno de sol e temperatura mínima de 10 ° C. Trate-o semelhante aos cactos. A rosa do deserto, como o próprio nome sugere, se adequa bastante muito às condições de baixa umidade.

 

Irrigação :

 

Agua deve ser usada com moderação. A Rosa do deserto aprecia agua neutra, a agua ácida deve motivar putrefacção de suas raízes. O excesso de agua mesmo no verão deve ocasionar putrefacção das raízes que matam sucessivamente a planta.


Mantenha a areia ou a terreno constantemente úmida, porém sem encharcar, não é necessario regar todos e cada um dos dias, apenas quando a areia ou a terreno em cima do vaso secar.


Adubação:


Uma adubação com um bom fertilizante orgânico é necessário a termo de conseguir um bom diâmetro de tronco e floração copioso. Os fertilizantes não devem ser aplicados de forma direta nas raízes. Nunca aplique o fertilizante, quando o substrato estiver completamente sequioso. Constantemente regue de antemão, isso evita a queimadura das raízes e a queda de folhas.


Vasos:


Use um pote, ou bacia de cerâmica rasa com óptimo secagem. Há vasos com formas singulares para a geração da flor do deserto.


Preparação do vaso:

 

Quando for reenvasar a sua rosa do deserto o vaso novo nunca deve ser realmente maior do que o que ela está plantada. O aumento ideal é de 50 %, porém constantemente com a propriedade da forma de bacia muito rasa. No vaso profundo a rosa do deserto resta subida e não cria sua maior particularidade, que é o tronco muito vasto e em forma de barrica. O vaso no formato de bacia faz que as raízes se espalhem radialmente, produzindo um belo nebari ( sustentação ), com raízes muito grossas e muito formadas.

 


Coloque no altura pedras, e tela pleastica com finalidade de as raizes não cheguem a transpor do vaso, dai cubra com algo de areia, depois ponha humus de minhoca e plante a rosa com uma mistura de areia grossa e terreno enchendo até a borda. (OBS deve ser 2/3 de areia grossa com 1/3 de substrato misturado).

 


Cultivo:


A Rosa do deserto deve ser cultivada por sementes ou estacas. Os troncos grossos com a propriedade parecida com os grandes Baobás, só podem ser obtidos através do cultivo de sementes. Um dos segredos para deixar a sustentação do talo interessante é alçar algo a planta, deixando a secção superior das raízes exposta a qualquer replantio, que deve ser realizado a qualquer 2 ou 3 anos. A planta enraizará frequentemente. Podas de treinamento devem ser criteriosas para não formar deformidades não naturais e cicatrizes feias na planta. Use gratificação nas podas e manuseio da planta porque sua suco é intensamente tóxica. Ela deve ser plantada deitada, porque a brotação precisa desta posição de contato com a terreno para sobrevir.


Floração:


As florações da rosa do deserto podem ser conseguidas em plantas jovens, com somente 15 cm de fundura. O florescimento frequentemente ocorre na vernal, sendo que há possibilidade de sucessivas florações no verão e decadência. As flores são tubulares, fácil, com cinco pétalas e lembram outras exatamente a mesma família como Alamanda, Jasmim-manga e Espirradeira. As cores são variadas, indo do alvo ao vinho escuro, mostrando por diferentes tons de rosa e colorado. Varias variedades apresentam mesclas e degradeés do núcleo em direção as pontas das pétalas. Há ainda variedades de flores dobradas.